quinta-feira, 12 de março de 2015 Tags: 1 comentários

A AMIZADE NA LITERATURA: O PEQUENO PRÍNCIPE E A RAPOSA

A AMIZADE NA LITERATURA: O PEQUENO PRÍNCIPE

Objetivo: promover, a partir da leitura de um capítulo do livro O Pequeno Príncipe, uma reflexão sobre a importância da amizade e fortalecer os laços de amizade no ambiente escolar.

ROTEIRO
  • Apresentação do livro e do autor

Sobre o autor:

      Antoine de Saint-Exupéry partiu para Nova York no fim de dezembro de 1940, onde começou a desenhar, na frente dos editores, o recorrente menino de cabelos rebeldes. Quando lhe perguntavam, respondia “Não é nada de mais, é apenas o garoto que existe no meu coração.”
      A primeira edição do Pequeno Príncipe apareceu em abril de 1943. Ele recebeu um dos primeiros exemplares alguns dias antes do seu embarque para a África do Norte. Atravessou o Atlântico a bordo de um navio com tropas americanas para lutar pela França ocupada pelo exército alemão, no dia 31 de julho de 1944 e não retornou da sua última missão.
      Toda a obra de Sain-Exupéry é centrada em valores fundamentais e universais. Elas fazem parte do nosso patrimônio. São os valores do homens solidários, responsáveis e persistentes.
     O Pequeno Príncipe é o terceiro livro mais vendido no mundo. Possui cerca de 134 milhões de exemplares vendidos, 8 milhões só no Brasil e foi traduzido em mais de 220 línguas e dialetos.
     É um dos personagens mais queridos e famosos de todos os tempos que empolga crianças e adultos com ensinamentos inesquecíveis. Sua história deixa marcas pela forma simples de suas mensagens de otimismo, simplicidade e amor.
“As estrelas são toas iluminadas…
Não será para que cada um possa um dia encontrar a sua?”
Antoine de Saint-Exupéry
PARA INÍCIO DE CONVERSA:

> O que vocês entendem por amizade?
> Você tem amigos verdadeiros?
> Quem já deu prova de amizade a alguém?
> E quem já teve prova da amizade de alguém?
> Quais atitudes demonstram amizade?
> É melhor ter amigos reais ou virtuais?

MOMENTO DE LEITURA
MOMENTO DE ATIVIDADES SOBRE O TEXTO


ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR GERSON LOPES
ENSINO FUNDAMENTAL
ANO LETIVO: 2015
VALORES NA ESCOLA
A AMIZADE NA LITERATURA: O PEQUENO PRÍNCIPE E A RAPOSA (Cap.XXI)

E foi então que apareceu a raposa:
- Boa dia, disse a raposa.
- Bom dia, respondeu polidamente o principezinho, que se voltou, mas não viu nada.
- Eu estou aqui, disse a voz, debaixo da macieira...
- Quem és tu? perguntou o principezinho. Tu és bem bonita...
- Sou uma raposa, disse a raposa.
- Vem brincar comigo, propôs o principezinho. Estou tão triste...
- Eu não posso brincar contigo, disse a raposa. não me cativaram ainda.
- Ah! desculpa, disse o principezinho.
Após uma reflexão, acrescentou:
- Que quer dizer "cativar"?
- Tu não és daqui, disse a raposa. Que procuras?
- Procuro os homens, disse o principezinho. Que quer dizer "cativar"?
- Os homens, disse a raposa, têm fuzis e caçam. É bem incômodo! Criam galinhas também. É a única coisa interessante que fazem. Tu procuras galinhas?
- Não, disse o principezinho. Eu procuro amigos. Que quer dizer "cativar"?
- É uma coisa muito esquecida, disse a raposa. Significa "criar laços..."
- Criar laços?
- Exatamente, disse a raposa. Tu não és para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo...
- Começo a compreender, disse o principezinho. Existe uma flor... eu creio que ela me cativou...
- É possível, disse a raposa. Vê-se tanta coisa na Terra...
- Oh! não foi na Terra, disse o principezinho.
A raposa pareceu intrigada: - Num outro planeta?
- Sim.
(...) Se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros passos me fazem entrar debaixo da terra. O teu me chamará para fora da toca, como se fosse música. E depois, olha! Vês, lá longe, os campos de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelos cor de ouro. Então será maravilhoso quando me tiveres cativado. O trigo, que é dourado, fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo...
A raposa calou-se e considerou por muito tempo o príncipe:
- Por favor... cativa-me! disse ela.
- Bem quisera, disse o principezinho, mas eu não tenho muito tempo. Tenho amigos a descobrir e muitas coisas a conhecer.
- A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não têm mais tempo de conhecer alguma coisa. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!
- Que é preciso fazer? perguntou o principezinho.
- É preciso ser paciente, respondeu a raposa. Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim, na relva. Eu te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas, cada dia, te sentarás mais perto...
(...)
Assim o principezinho cativou a raposa. Mas, quando chegou a hora da partida, a raposa disse:
- Ah! Eu vou chorar.
- A culpa é tua, disse o principezinho, eu não queria te fazer mal; mas tu quiseste que eu te cativasse...
- Quis, disse a raposa.
- Mas tu vais chorar! disse o principezinho.
- Vou, disse a raposa.
- Então, não sais lucrando nada!
- Eu lucro, disse a raposa, por causa da cor do trigo. Depois ela acrescentou: - Vai rever as rosas. Tu compreenderás que a tua é a única no mundo. Tu voltarás para me dizer adeus, e eu te farei presente de um segredo.
Foi o principezinho rever as rosas:
(...)
E voltou, então, à raposa:
- Adeus, disse ele…
- Adeus, disse a raposa. Eis o meu segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos.
- O essencial é invisível para os olhos, repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
- Foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante.
- Foi o tempo que eu perdi com a minha rosa... repetiu o principezinho, a fim de se lembrar. - Os homens esqueceram essa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Tu és responsável pela rosa...
- Eu sou responsável pela minha rosa... repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
(SAINT- EXUPÉRY, Antoine de. O pequeno príncipe. Rio de Janeiro: AGIR, 1956)

RESPONDA A CRUZADINHA






1-



O












*















2-



P








3-




E



















Q














5-




U












6-






E
















7-


N

















8-

O



















*


















9-
P















10-



R
















11-


I














12-




N


















13-
C















14-



I















15-



P













16-





E











1- Com quem o principezinho conversava?
2- Um dos nomes do autor do livro O Pequeno Príncipe.
3- A raposa, ao conversar com o principezinho estava debaixo de uma árvore. Que árvore era essa?
4-  -
5- O que a raposa considerava “uma fonte de mal-entendidos”?
6- Um dos nomes do autor do livro?
7- O que o pequeno príncipe achou da raposa?
8- O que o principizinho tinha cativado e por ela seria eternamente responsável?
9- Segundo a raposa, é preciso ser________ para poder cativar alguém.
10- Na hora da partida, o que a raposa disse ao pequeno príncipe que ia fazer?
11- Para a raposa, o que não se pode comprar nas lojas?
12- O ___________ é invisível para os olhos.
13- A raposa ensinou ao príncipe que:  só se vê bem com o _________.
14- Significa “Criar laços”.
15- O que nos tornamos com relação ao que cativamos, conforme lições da raposa?
16- Como se sentia o príncipe quando chamou a raposa para brincar?

REFLITA E RESPONDA

1- O  Pequeno Príncipe procurava amigos. Você também procura novos amigos e valoriza as amizades que já conquistou? Por quê?


2- Para a raposa cativar significa criar laços. Para você, o que é cativar?


3- Por que a raposa disse ao principezinho: “Eu amarei o barulho do vento no trigo”?


4- Você tem alguma coisa que lhe faz lembrar que lhe cativou? Se não for segredo, escreva sobre isso.


5- Como uma pessoa pode lhe cativar?


6- E você, o que faz quando quer cativar alguém?


7- Você acha que existe amizade verdadeira?


8- Você participa de alguma rede social?


9- Você acha que as redes sociais ( Facebook, Instagram, Whatsapp etc) nos ajuda a criar ou fortalecer laços de amizades?

10- O que é melhor: ter amigos reais ou virtuais? Justifique a sua resposta.


PRODUÇÃO DE TEXTO

Escreva um texto sobre o tema: “Amizade, fundamental para ser feliz”

1 Response to A AMIZADE NA LITERATURA: O PEQUENO PRÍNCIPE E A RAPOSA

28 de março de 2016 07:47

Muito legal a cruzadinha!!! Gostaria da resposta. Tem como me enviar?